Descubra como identificar refluxo em recém-nascidos

O refluxo em recém-nascidos é uma preocupação para muitos papais e mamães, especialmente aqueles de primeira viagem.

  • 20/12/2021 às 14:00:00
  • Fonte: Rio Norte Saúde
[Descubra como identificar refluxo em recém-nascidos]
Descubra como identificar refluxo em recém-nascidos

No entanto, é importante ter em mente que é algo completamente normal, porque o trato digestivo nesta fase ainda é muito imaturo. Ao mesmo tempo, porém, é necessário ficar atento(a), identificar imediatamente os sintomas e, se necessário, procurar um pediatra.

Refluxo em recém-nascidos: por que isso acontece?

Existe um músculo, o esfíncter esofágico inferior, que atua como uma válvula entre o esôfago e o estômago. Quando engolimos algo, esse músculo relaxa para permitir que o alimento passe do esôfago para o estômago e, normalmente, permanece fechado. Dessa forma, o conteúdo do estômago não flui de volta para o esôfago.

Contudo, os recém-nascidos ainda não têm o esfíncter esofágico inferior totalmente desenvolvido. Portanto, o conteúdo do estômago volta para o esôfago. Isso faz com que seu bebê cuspa ou “volte” o leite. 

O refluxo em recém-nascidos, quando é ácido ou gastroesofágico, é o refluxo normal que ocorre entre crianças, atingindo cerca de 40 a 65% dos bebês. Outro tipo é o refluxo silencioso, que nem sempre causa sintomas externos.

Então, como identificar refluxo em recém-nascidos?

Se um bebê está cuspindo leite após as mamadas, há uma boa chance de que ele tenha refluxo ácido. Contudo, se ele tiver complicações que vão além de apenas cuspir pequenas quantidades de leite, como dificuldade para se alimentar e desconforto, é importante ficar de olho nos sintomas, pois pode significar uma condição chamada doença do refluxo gastroesofágico. 

Esse é um tipo de refluxo em recém-nascidos que é mais grave e de longa duração. Os sintomas mais comuns são: 

  • Costas arqueadas durante ou depois de comer;
  • Chorar mais de três horas por dia sem causa médica;
  • Tosse;
  • Engasgo ou dificuldade para engolir;
  • Irritabilidade após comer;
  • Comer mal ou recusar-se a comer;
  • Baixo ganho ou perda de peso;
  • Problemas respiratórios;
  • Vômito forte ou frequente.

Como é feito o diagnóstico?

Caso você suspeite de refluxo em recém-nascidos ou se o seu bebê apresentar sintomas, é importante levá-lo a uma consulta. O pediatra começará com um exame físico e perguntará sobre esses sintomas. Se o recém-nascido estiver saudável, crescendo conforme o esperado e parecer feliz, geralmente não é necessário fazer outros exames. No entanto, em alguns casos, o médico pode solicitar alguns testes para confirmar o diagnóstico, dependendo da idade da criança:

  • Ultrassom;
  • Exames de sangue;
  • Exames de urina;
  • Raio X
  • Endoscopia.
  • O que fazer para minimizar o refluxo?

    Sim, em alguns casos é possível minimizar o refluxo em recém-nascidos. Para isso, é importante:

  • Alimentar seu bebê na posição vertical. Além disso, mantenha a criança sentada por 30 minutos após a alimentação, se possível. A força da gravidade ajuda o conteúdo do estômago a permanecer no lugar;
  • Tentar alimentá-lo menos, porém mais vezes ao dia. Dar ao seu bebê pequenas quantidades de leite com mais frequência pode ajudar;
  • Fazer o bebê arrotar. Arrotos frequentes durante e após a alimentação podem impedir que o ar se acumule no estômago;
  • Para dormir, colocar o bebê de costas. Não é recomendado colocá-lo de bruços;
  • Mudar a sua própria dieta. Se você estiver amamentando, o pediatra pode sugerir que você elimine os laticínios ou outros alimentos de sua dieta.

Agende uma consulta com o pediatra em Madureira! 

  • Compartilhe e Avalie esse Post

  • votos

Deixe seu Comentário! Queremos saber sua opinião!


[Envie seu Orçamento pelo WhatsApp]
Envie seu Orçamento pelo WhatsApp